Acadêmia de Vinhos de Bordeaux

26 mar

Acadêmia de Vinhos de Bordeaux

Em Bordeaux, muito perto da Place de la Comédie, está a Escola de vinhos da região, a famosa Acadêmia de Vinhos de Bordeaux.

A Acadêmia oferece cursos para todas os níveis e disponibilidades.

Sugiro para turistas enófilos o workshop  com introdução de 2 horas de Vinhos de Bordeaux, pode ser para 1 até 24 participantes e está disponível a qualquer momento durante o ano.

Você aprenderá mais sobre  as vinhas de Bordeaux os vinho de marcação, como degustar vinhos e como falar sobre eles.

Interessantíssimo, fiquei realmente apaixonada, minha vontade era de passar meses ou até morar em Bordeaux e poder absorver tudo que essa Acadêmia, essa cidade, essa região tem de riquezas em produtos, cultura e informação!

Não deixe de visitar, por uma média de 40 euros degustará vinhos fantásticos e aprenderá muito com essa experiência!

Confira tudo que a Acadêmia oferece pelo site:

www.bordeaux.com

Endereço:

1,cours du 30 Juillet – 33075 Bordeaux Cedex France

Avulsas 1047 editada

 Fachada da Acadêmia de Vinhos de Bordeaux.

 

Avulsas 1056editada

Avulsas 1057editada

 

 Sala interna para pequenas degustações e Workshop.

 

Avulsas 1062editada

Espaço para degustações programadas, possível também reunir amigos ou fazer  reuniões de negócios.

 

Avulsas 1053 editada

Mapa da Região de Bordeaux com destaque para as áreas das vinhas.

A Típica Gastronomia Alentejana

5 jan

Foi na cidade de Beja que realmente conheci a típica gastronomia Alentejana, a cidade não me conquistou muito, até porque eu havia acabado de sair de Évora com uma riqueza cultural bem interessante e sua beleza natural.

Fiquei apenas um dia em Beja, mas valeu muito à pena pela Taberna Típica Alentejana  A  Pipa, do simpático proprietário Jorge Maldonado e sua querida mulher Saudade Campião, que me receberam com enorme bom grado, A Pipa tem um aroma inconfundível de boa cozinha e um atendimento impecável.

Seu ambiente remete as tabernas, com garrafões e ferramentas agrícolas em sua decoração, me senti aconchegada e com enorme vontade de me sentar á mesa.

Por sugestão do Jorge, naquele jantar foi me servido a tradicional Açorda de Bacalhau, é um caldo de peixe com azeite extra virgem, muito pão, muito coentro e um ovo cozido no caldo encima, à parte vem a posta de bacalhau. Achei muito gostoso, e para as noites frias, é um prato perfeito.

Conversando com a Saudade, também proprietária da casa, fiquei convencida de que não poderia deixar o Alentejo sem experimentar o prato de Migas de Poejos com Plumas de Porco Preto, para isso voltei a casa para almoçar no dia seguinte.

Que delícia de prato!!!  As Migas também são feitas a base de pães, a Saudade me explicou que antigamente os agricultores que cuidavam das plantações eram muito pobres e por isso era feito tudo com muita farinha, consequentemente, o pão virou a base de pratos rápidos e baratos.

A Pipa fica na Rua da Moeda, 8 em Beja – Alentejo/ Telefone 284 327 043

Restaurante Pipa está também no Facebook

http://www.facebook.com/restaurante.pipa?fref=ts

Aconchegante ambiente do interior do alentejo

Deliciosa Migas de Poejos com Plumas de Porco Preto

Açorda da Bacalhau, para esquentar e alimentar nas noites de inverno

Imperdíveis em Évora, vinhos e comidinhas

4 jan

Falando um pouco de enogastronomia ou simplesmente de lugares charmosos, selecionei algumas dicas que são realmente imperdíveis.

Rota dos Vinhos do Alentejo: 65 Vinícolas que você pode escolher para Conhecer os Vinhedos a Casa das Barricas, Desgustar os vinhos e Almoçar. Entre elas as principais são Adega José de Sousa dos vinhos José Maria da Fonseca - www.jmf.pt , Herdade do Esporão – www.esporao.com, Adega Cartuxa da Fundação Eugênio de Almeida dos vinhos Pera Manca – www.cartuxa.pt

Quase todas as Adegas exigem que visita agendada, por isso programe-se, entre nos sites e agende sua visita.

Se tiver interesse em outras vinícolas vá até o apoio ao turista, que fica no centro bem em frente a praça de Giraldo, lá a atendente poderá lhe dar uma relação de todas as adegas disponíveis para visitação, ou acesse www.vinhosdoalentejo.pt

Trincadeira

Patéis de Bacalhau com taça de Vinho Branco da Casa, quase em frente a Igreja dos Ossos está um Restaurante muito simples que nem nome na porta tem, cheguei tarde, por isso resolvi comer apenas alguns bolinhos, e não um almoço completo. Não poderia ter sido uma escolha mais feliz, jamais na minha vida comi ou acredito que comerei bolinhos de bacalhau tão maravilhosos, sequinhos, perfeitos como esses, só de escrever e lembrar já estou com água na boca!

Não deixe de provar esses Pastéis de Bacalhau com vinho por apenas 5,50 euros.

Restaurante Típico Alentejano em Évora, o Medieval através da  gerência do simpático Pedro Brito, tem uma comida muito gostosa e um um pequenino e aconchegante ambiente com lotação máxima de 44 pessoas, só não abre ás segundas feiras.

Não é muito barato, com o vinho da casa 1/2 jarra gastará em média 25 euros, mas o prato é muito bem servido e pode ser dividido.

O Medieval fica na Rua do Raimundo, 47 – descendo a praça de Giraldo.

Condestável Café Bistrô, tive a enorme sorte de escolher um hotel bem perto da praça de Giraldo o Diana, um hotel do século XVII, que foi reformado, mas mantiveram a estrutura nada caro e muito confortável. Mas o melhor foi que bem em frente ao hotel está o Condestável, um charme de café bistrô, com doces, croissants, cafés e almoços muito gostosos e acessíveis, mas o melhor é o ambiente e a clientela, muito bem frequentado, por jovens, intelectuais e turistas curiosos para saber o que está acontecendo ali.

Almoçei um dia lá e realmente me surpreendi, estava muito gostoso, nada muito elaborado, mas o sabor de comidinha bem feita era nítido.

Massa com Salmão e alcaparras, leva no preparo, massa fresca, molho de tomate caseiro, creme, salmão defumado, limão, alcaparras e cebola fresca.

Vá conferir, nem que seja para um café, na Rua Diogo Cão, 3

Pastelaria Conventual Pão de Rala, O’concur de todas as docerias que fui em Portugal, Ercília, uma senhorinha muito talentosa e que não quer de maneira alguma ser chamada de senhora ou Dona Ercília, sabe muito bem o que quer, diz claramente, não precisa fotografar meu marido não, ele aqui é só meu empregado!

Essa Doceria ou Pastelaria como chamam em Portugal tem a maioria dos doces Conventuais de Portugal, esses doces eram feitos pelos monges e freiras nos conventos para o Reinado português. Sempre a base de muitos ovos, nozes, castanhas entre outras delícias, são irresistíveis e elaborados.

O nome da Pastelaria é o nome de um dos doces Conventuais mais famosos de Évora o Pão de Rala.

Experimentei um pedaço e acabei comprando um inteiro para levar de presente para Lourdes Olas onde passei minha noite de Natal, ela já havia me dito que era seu doce predileto.

O Pão de Rala é feito com ovos e gila em seu recheio, um tipo de abóbora, mas os portugueses dizem que realmente não é igual.

O Fidalgo, um outro doce Conventual me impressionou, pela beleza, delícia e ingredientes de sua receita, nada mais nada menos que 180 ovos são utilizados para fazer uma torta Fidalgo.

Não vá embora de Évora sem dar uma passadinha na Pastelaria Pão de Rala, ela está na Rua do Cicioso, 47 / telefone – 266707778

Fidalgo, leva 180 ovos no seu preparo

Pão de Rala 3,00 euros a fatia – Tradicional doce de Évora

A simpática Ercilia proprietária da Pastelaria Pão de Rala

Delidelux Mercearia Charcutaria e Cafeteria

16 dez

Delidelux Mercearia Charcutaria e Cafeteria

 DeliDelux Mercearia, Charcutaria e Cafeteria,

descendo do metro linha azul na estação de Sta. Apolônia, siga para direção do Rio Tejo, em três minutos de caminhada, estará em um dos lugares mais charmosos e bem frequentados de Lisboa.

Na mercearia irá encontrar, Cogumelos secos e frescos, foie gras, caviar, chocolates exclusivos, azeites premiados, molhos e pestos italianos, chás, cafés, frutas exóticas, doces caseiros, legumes especiais, vinhos selecionados e até flores frescas… a dificuldade é escolher o que levar! Experimente, toque, saboreie, pergunte e peça. Uma equipa especializada não só o vai atender com toda a atenção mas também aconselhar.

Na charcutaria do DeliDelux os queijos, embutidos e presuntos estão lado a lado com uma deliciosa seleção de pães como
a foccacia de azeitonas ou o emblemático nova-iorquino bagel e outras iguarias como o salmão fumado ou o carpaccio
de caranguejo. Queijos mais tradicionais como o clássico Serra ou Azeitão juntam-se por exemplo aos mais raros Strachino, Tallegio e Parmesão Vintage, envelhecido com um sabor único. Independentemente da escolha, terá um produto de alta qualidade.

Mais do que uma mercearia ou charcutaria o DeliDelux
oferece uma refeição ligeira ou simplesmente a possibilidade de tomar um cappucino à beira-rio Tejo. Elaborado pela chef Leonor Manita, o menú
do DeliDelux inclui saladas frescas e sanduíches de inspiração mediterrânica, tábuas de queijos e embutidos, bolos tradicionais portugueses combinados com propostas da doçaria internacional, e o cosmopolita brunch para quando apetece um pequeno-almoço reforçado fora de hora, num ritmo lento.
Tudo para ser degustado no interior da cafeteria ou na parte virada para o rio Tejo. Todos
os ingredientes utilizados nas estão disponíveis na loja.

Av. Infante D. Henrique Armazém B Loja 8
1900-264 Lisboa
Portugal
351 218 862 070
351 218 861  964

Confeitaria Nacional

7 dez

Falando nas famosas tortas de Azeitão, hoje estive na centenária Confeitaria Nacional, doceria de fabricação própria, existente desde 1829, em uma esquina charmosa de Lisboa muito perto do Castelo de São Jorge, essa vitrine de encher os olhos e a boca d’água, tem uma decoração clássica e é disputadíssima pelos portugueses e turistas bem informados.

A Confeitaria Nacional foi inaugurada em  Dezembro de 1829. Baltazar Rodrigues Castanheiro foi o seu fundador. Um confeiteiro que se manteve à frente do negócio até à sua morte, em 1869. Sucedeu-lhe o seu filho mais novo, que tinha o mesmo nome do pai, mas era conhecido por Baltazar Júnior. Durante a sua gerência, a Confeitaria Nacional conquistou o paladar dos lisboetas, contratando confeiteiros em Paris e Madrid, expandindo-se para o andar superior, onde se instalou um requintado salão, dividido em gabinetes, como era costume na época. Com o seu prestígio conseguiu o disputado título de “Fornecedora da Casa Real”, e premios nas exposições internacionais de Viena, Filadélfia, Paris e Lisboa. Foi o primeiro estabelecimento em Lisboa a ter iluminação a gás e a instalar um dos primeiros telefones de Lisboa, cujo aparelho ainda se mantém no local. Naquela época, a Confeitaria Nacional oferecia aos seus clientes artísticas construções de açúcar e amêndoa, lampreias de ovos e, para comemorar os feitos de Mouzinho de Albuquerque, uns bolos de chocolate que se chamavam “gungunhanas”.  Foi Baltazar Júnior que introduziu em Portugal o “bolo- rei”, depois de uma viagem a Paris, de onde trouxe a receita. Em 1913, um neto do fundador ampliou o estabelecimento e instalou o salão de chá que ainda hoje existe. Foi ele também que estendeu o negócio da confeitaria à pastelaria, iniciando exportação dos doces para o Brasil.

Em 1940 o Presidente da República Óscar Carmona, em sessão solene atribuiu-lhe o diploma de Casa Centenária. Hoje, 180 anos após a sua fundação, a Confeitaria Nacional continua nas mãos da mesma família e mantém inalterada a sua reputação de Casa de Chá, Pastelaria e Confeitaria. No primeiro andar também se servem refeições.

Uma curiosidade para mim foi ver na vitrine uma torta inteira de ovos com fios de ovos em sua volta e cerejas encima,  esse doce comprei uma vez em São Paulo em uma doceria chamada ” A Casota Portuguesa” - Avenida Miruna, 442 – Moema  São Paulo, comprei para o batizado do meu filho João , hoje com 16 anos, depois nunca mais havia visto, Essa torta é a famosa Lampreia, e  tem mesmo o formato de um peixe cilíndrico, com  um sabor divino, para quem gosta de doces de ovos é claro.

Confeitaria Nacional, se vier a Lisboa, não deixe de visitar!

Praça da Figueira 18B  1100-241 Lisboa, Portugal
213 424 470

www.confeitarianacional.com

Mariscos Frescos – Lisboa

3 dez

Impossível não parar na vitrine dessa Marisqueria  Concha D’Ouro, que conheci hoje, Carangueijos, peixes, enormes lagostas, entre outros mariscos em uma grande variedade. Por apenas 12,00 euros podemos degustar o prato do dia com entrada e sobremesa.

Aliás, vos digo (no clima português), nessa cidade come-se muitíssimo bem e paga-se muito pouco!

Rua Augusta, 238-240 – Lisboa

Lisboa – Tradição no “fast food” português

3 dez

Pela indicação de um português chamado Pedro, que recepciona vários turistas do mundo todo em um Hostel, acabei descobrindo um lugar muito tradicional no centro de Lisboa chamado Restaurante e Cervejaria Beira Gare, a especialidade do lugar chama-se BIFANA, nada mais é que um sanduíche de carne de porco que em 1 minuto chega a sua frente no balcão onde muitos portugueses disputam um espaço, porque sentar a mesa, é sempre mais caro! Come-se com mostarda e paga-se apenas 2,30 euros por ele. Claro que não estamos falando de uma refeição gourmet, mas se já esteve em Portugal e não experimentou, não deixe de fazê-lo na próxima visita!

Rua 1°de Dezembro, 116 ( Em frente a estação do Rossio) – Lisboa

Sobre a bebida, entre tantos vinhos espetaculares que ainda irei postar aqui, descobri uma bebida também muito tradicional entre os portugueses, eles tomam dois ou três pequenos cálices desse “licor” chamado Ginginha, feito de cereja e servido com chocolate ou puro.

Eu bebi puro e adorei, e olha que não sou de bebidas docinhas, mas essa Ginginha de Transmontano é realmente muito gostosa.

Você encontra em qualquer lugar de Lisboa, até em bancas e feiras nas ruas do centro.

Dona Lourdes, serve a Ginginha com a alegria de vender o mais tradicional produto da cidade.


coloque esse código no final da página: