Confeitaria Nacional

7 dez

Falando nas famosas tortas de Azeitão, hoje estive na centenária Confeitaria Nacional, doceria de fabricação própria, existente desde 1829, em uma esquina charmosa de Lisboa muito perto do Castelo de São Jorge, essa vitrine de encher os olhos e a boca d’água, tem uma decoração clássica e é disputadíssima pelos portugueses e turistas bem informados.

A Confeitaria Nacional foi inaugurada em  Dezembro de 1829. Baltazar Rodrigues Castanheiro foi o seu fundador. Um confeiteiro que se manteve à frente do negócio até à sua morte, em 1869. Sucedeu-lhe o seu filho mais novo, que tinha o mesmo nome do pai, mas era conhecido por Baltazar Júnior. Durante a sua gerência, a Confeitaria Nacional conquistou o paladar dos lisboetas, contratando confeiteiros em Paris e Madrid, expandindo-se para o andar superior, onde se instalou um requintado salão, dividido em gabinetes, como era costume na época. Com o seu prestígio conseguiu o disputado título de “Fornecedora da Casa Real”, e premios nas exposições internacionais de Viena, Filadélfia, Paris e Lisboa. Foi o primeiro estabelecimento em Lisboa a ter iluminação a gás e a instalar um dos primeiros telefones de Lisboa, cujo aparelho ainda se mantém no local. Naquela época, a Confeitaria Nacional oferecia aos seus clientes artísticas construções de açúcar e amêndoa, lampreias de ovos e, para comemorar os feitos de Mouzinho de Albuquerque, uns bolos de chocolate que se chamavam “gungunhanas”.  Foi Baltazar Júnior que introduziu em Portugal o “bolo- rei”, depois de uma viagem a Paris, de onde trouxe a receita. Em 1913, um neto do fundador ampliou o estabelecimento e instalou o salão de chá que ainda hoje existe. Foi ele também que estendeu o negócio da confeitaria à pastelaria, iniciando exportação dos doces para o Brasil.

Em 1940 o Presidente da República Óscar Carmona, em sessão solene atribuiu-lhe o diploma de Casa Centenária. Hoje, 180 anos após a sua fundação, a Confeitaria Nacional continua nas mãos da mesma família e mantém inalterada a sua reputação de Casa de Chá, Pastelaria e Confeitaria. No primeiro andar também se servem refeições.

Uma curiosidade para mim foi ver na vitrine uma torta inteira de ovos com fios de ovos em sua volta e cerejas encima,  esse doce comprei uma vez em São Paulo em uma doceria chamada ” A Casota Portuguesa” - Avenida Miruna, 442 – Moema  São Paulo, comprei para o batizado do meu filho João , hoje com 16 anos, depois nunca mais havia visto, Essa torta é a famosa Lampreia, e  tem mesmo o formato de um peixe cilíndrico, com  um sabor divino, para quem gosta de doces de ovos é claro.

Confeitaria Nacional, se vier a Lisboa, não deixe de visitar!

Praça da Figueira 18B  1100-241 Lisboa, Portugal
213 424 470

www.confeitarianacional.com

3 respostas to “Confeitaria Nacional”

  1. Carlos Eduardo Monteiro 08. dez, 2012 at %H:%M 01Sat, 08 Dec 2012 01:00:31 +000031. #

    Que delicias….!! =)

  2. shanghai escorts 20. fev, 2013 at %H:%M 01Wed, 20 Feb 2013 01:11:39 +000039. #

    Lovely just what I was searching for.Thanks to the author for taking his time on this one.

    • Josette 20. fev, 2013 at %H:%M 03Wed, 20 Feb 2013 03:31:13 +000013. #

      Thank you for the comment,
      Josette.

Deixe uma resposta para Carlos Eduardo Monteiro

coloque esse código no final da página: