Castelo de São Jorge – Lisboa

19 dez

Castelo de São Jorge – Lisboa

Chegando ao Castelo de São Jorge, um dos pontos turísticos imperdíveis de Lisboa, com seus miradores e torres, você paga na bilheteria 7,50 euros pela visita.

O Castelo serviu como teatro, prisão e arsenal, Após o terremoto de 1755, as plataformas permaneceram em ruínas até 1938, quando o castelo foi totalmente reconstruído. Em 2006, foi restaurado, junto com partes do bairro Santa Cruz.

Os visitantes podem subir nas torres e caminhar pelas plataformas ou no terraço de observação. E a vista é lindíssima, observando, notei que os telhados de Portugal  são quase todos vermelhos, conversando com um arquiteto que conheci, ele explicou a tendência, pela quantidade de argila que há no país há muitos séculos, o que faz com que o custo dessas telhas vermelhas seja menor e por isso a mais adquirida.

Localizado muito perto do Centro na Rua do Chão da feira, o cesso pode ser feito pegando o autocarro 37 (ônibus n° 37) ou o elétrico 28, partindo de qualquer ponto central, em média seu ticket vai custar 1,80 euros.

Quando sai do Castelo já ao entardecer, fui caminhando pelas vielas apertadas do bairro, típicas em Portugal. Adoro descobrir como vivem as pessoas em seu dia a dia, naquela região em volta do castelo estão pequenas casas residenciais, percebi que residem mais idosos, passei em uma onde havia uma senhorinha sentada vendo televisão, as roupas penduradas para fora, pela falta de espaço, imediatamente me veio na cabeça “Meu Deus, eu não passo sem me abaixar nem por essa porta, como podem essas pessoas idosas viverem em lugares tão frios e apertados, sem ficarem doentes? Mas o fato é que não ficam e essa é culturalmente a típica moradia desse país que possui uma extensão de terra tão pequena comparada a outros países.

Delidelux Mercearia Charcutaria e Cafeteria

16 dez

Delidelux Mercearia Charcutaria e Cafeteria

 DeliDelux Mercearia, Charcutaria e Cafeteria,

descendo do metro linha azul na estação de Sta. Apolônia, siga para direção do Rio Tejo, em três minutos de caminhada, estará em um dos lugares mais charmosos e bem frequentados de Lisboa.

Na mercearia irá encontrar, Cogumelos secos e frescos, foie gras, caviar, chocolates exclusivos, azeites premiados, molhos e pestos italianos, chás, cafés, frutas exóticas, doces caseiros, legumes especiais, vinhos selecionados e até flores frescas… a dificuldade é escolher o que levar! Experimente, toque, saboreie, pergunte e peça. Uma equipa especializada não só o vai atender com toda a atenção mas também aconselhar.

Na charcutaria do DeliDelux os queijos, embutidos e presuntos estão lado a lado com uma deliciosa seleção de pães como
a foccacia de azeitonas ou o emblemático nova-iorquino bagel e outras iguarias como o salmão fumado ou o carpaccio
de caranguejo. Queijos mais tradicionais como o clássico Serra ou Azeitão juntam-se por exemplo aos mais raros Strachino, Tallegio e Parmesão Vintage, envelhecido com um sabor único. Independentemente da escolha, terá um produto de alta qualidade.

Mais do que uma mercearia ou charcutaria o DeliDelux
oferece uma refeição ligeira ou simplesmente a possibilidade de tomar um cappucino à beira-rio Tejo. Elaborado pela chef Leonor Manita, o menú
do DeliDelux inclui saladas frescas e sanduíches de inspiração mediterrânica, tábuas de queijos e embutidos, bolos tradicionais portugueses combinados com propostas da doçaria internacional, e o cosmopolita brunch para quando apetece um pequeno-almoço reforçado fora de hora, num ritmo lento.
Tudo para ser degustado no interior da cafeteria ou na parte virada para o rio Tejo. Todos
os ingredientes utilizados nas estão disponíveis na loja.

Av. Infante D. Henrique Armazém B Loja 8
1900-264 Lisboa
Portugal
351 218 862 070
351 218 861  964

Lisboa – Dicas Imperdíveis

11 dez

Lisboa – Dicas Imperdíveis

Casa Macário, fundada em 1913 pelo Sr. Macário Moraes Ferreira , é um verdadeiro museu de Vinhos do Porto.

Situada no centro de Lisboa, a casa  tem um arsenal de relíquias no que se refere aos vinhos da região do Porto e ainda oferece chás, cafés, bombons. whisky e licores. Sr. Gomes é um dos atendentes á frente da casa, um senhor simpático que poderá contar tudo sobre cada safra daquelas garrafas empoeiradas que estão á venda, algumas por nada menos que 3.500,00 euros.

Imperdível!

Rua Augusta, 272 -276

1100 Lisboa

Santa Rita Restaurante, escondido em uma travessa da Rua Madalena, muito perto do Castelo de São Jorge, está esse restaurante, sem fachada arquitetada ou placas na porta, praticamente imperceptível.

A primeira coisa que se nota quando entra é o público frequentador, em sua maioria trabalhadores portugueses, policiais, donos de lojas dos arredores, e poucos turistas que tiveram a sorte dessa indicação.

Indico pela qualidade da comida e o preço, incrivelmente barato.

Experimentei um Bacalhau ao Bráz, de comer de joelhos, leve, delicioso. O prato para meia porção, que acredite, é mais que suficiente para uma pessoa custa 5,75 euros. Vale experimentar também o Arroz Malandrinho pelo mesmo valor de 5,75 euros meia porção, esse arroz que lembra um risoto, é mais soltinho e leva polvo em sua receita. Que delícia!

Santa Rita Restaurante

Rua São Mamede, 24 C – Lisboa

www.santaritarestaurante.com 

Confiram as fotos!

Arroz Malandrinho com polvo

Bacalhau ao Bráz

El Corte Inglés

10 dez

Uma enorme loja de departamentos, com as melhores marcas que puder imaginar, com um super mercado fantástico que vale muito conhecer, e várias outras lojas de serviços. Esse é o charmoso El Corte Inglés, de Carolina Herrera a Burberry ou de Dior a Bvlgari, entre tantas outras.

Para chegar nele é muito fácil, pegue o metro da linha azul e desça na estação São Sebastião, pronto você estará dentro do El Corte Inglés.

Se vier a Lisboa com mais tempo, procure se informar sobre a Programação do Ânbito Cultural do El Corte Inglés, ele consiste em organizar concertos, exposições, palestras, debates, lançamentos de livros e cursos.

E olha só quem eu achei lançando um Livro na terça feira dia 11/12/2012,  João Quadros, se é parente ainda não sei,  mas com certeza estarei lá para conferir! O lançamento será ás 18:30 no Restaurante Piso 7 do El Corte Inglés.

Ainda para esse ano, começo de 2013, é possível fazer sua inscrição para o curso de História da Europa, ele será ministrado as 2ª e 4ª feiras às 19h, inscrições abertas até 04 de janeiro.

As fichas para inscrições estão disponíveis no Ponto de Informação Piso 0 ou pelo telefone em Lisboa – 21 371 17 93

Ainda na programação do El Corte Inglés no dia 10 de janeiro ás 19h haverá Concertos de Brandeburgo obras de Johnn Sebastian Bach

www.modaelcorteingles.pt/

Essa foto tirei dentro do super mercado que mencionei acima, são polvos á venda.

Ainda no El Corte Inglés, tive o prazer de conhecer o Sr. João Menéres da Quinta do Romeu 

Degustei o vinho tinto Romeu um DOC reserva 2008 , a garrafa custa em torno 7,00 euros, com uma complexidade de aromas surpreendente, recebi o convite do Sr. João para quando estiver em Porto, ir pessoalmente conhecer a vinícola. Logo farei mais postagens sobre esses excelentes vinhos.

www.romeu.pt

Fish Spa

7 dez

Andando pelo Centro Comercial de Oeiras – Lisboa, encontrei uma loja de serviços muito diferente e curiosa a Mister Fixe, trata-se de um Spa com funções de peeling Natural, micro massagem e terapia dermatotógica entre outras promessas, como melhora de psoríase, eczemas, acne e varizes. A terapia é feita com pequeninos peixes dentro de tanques, esses peixes são chamados de Garra Rufa (Peixe Médico) e ficam em três tipos de tanques com água límpida e esterilizada, segundo a atendente, um é o Hand Spa, para as mãos, o outro é o Foot Spa, onde senta-se em bancos acolchoados e colocá-se os pés nos tanques e por último o Body Spa, um tanque bem maior em que é possível mergulhar o corpo até o pescoço.

Não experimentei a terapia e também não sei se teria coragem, assim que uma parte do corpo entra na água, vem o cardume e começa a massagem e limpeza das células mortas, acho que me daria um pouco de aflição estar levando mordidinhas de vários peixinhos, enfim, fica a dica, se alguém quiser conferir.

Para chegar do centro de Lisboa ao Centro Comercial de Oeiras, pegue o comboio da linha 3 no Cais do Sodré e desça na estação de Paço D’Arcos, lá mesmo na estação pegue o Satu, espécie de Mono Rail que passa por apenas três estações, desça na estação final que é dentro do Centro Comercial de Oeiras. A passagem do comboio custa 3,60 euros ida e volta e do Satu 2,50 euros ida e volta.

www.misterfixe.pt 

Foot Spa

Body Spa

Ainda no centro comercial de Oeiras, não pude deixar de tirar essa foto de uma linha de cílios postiços profissionais, difícil de usar mas lindo de ver!

Confeitaria Nacional

7 dez

Falando nas famosas tortas de Azeitão, hoje estive na centenária Confeitaria Nacional, doceria de fabricação própria, existente desde 1829, em uma esquina charmosa de Lisboa muito perto do Castelo de São Jorge, essa vitrine de encher os olhos e a boca d’água, tem uma decoração clássica e é disputadíssima pelos portugueses e turistas bem informados.

A Confeitaria Nacional foi inaugurada em  Dezembro de 1829. Baltazar Rodrigues Castanheiro foi o seu fundador. Um confeiteiro que se manteve à frente do negócio até à sua morte, em 1869. Sucedeu-lhe o seu filho mais novo, que tinha o mesmo nome do pai, mas era conhecido por Baltazar Júnior. Durante a sua gerência, a Confeitaria Nacional conquistou o paladar dos lisboetas, contratando confeiteiros em Paris e Madrid, expandindo-se para o andar superior, onde se instalou um requintado salão, dividido em gabinetes, como era costume na época. Com o seu prestígio conseguiu o disputado título de “Fornecedora da Casa Real”, e premios nas exposições internacionais de Viena, Filadélfia, Paris e Lisboa. Foi o primeiro estabelecimento em Lisboa a ter iluminação a gás e a instalar um dos primeiros telefones de Lisboa, cujo aparelho ainda se mantém no local. Naquela época, a Confeitaria Nacional oferecia aos seus clientes artísticas construções de açúcar e amêndoa, lampreias de ovos e, para comemorar os feitos de Mouzinho de Albuquerque, uns bolos de chocolate que se chamavam “gungunhanas”.  Foi Baltazar Júnior que introduziu em Portugal o “bolo- rei”, depois de uma viagem a Paris, de onde trouxe a receita. Em 1913, um neto do fundador ampliou o estabelecimento e instalou o salão de chá que ainda hoje existe. Foi ele também que estendeu o negócio da confeitaria à pastelaria, iniciando exportação dos doces para o Brasil.

Em 1940 o Presidente da República Óscar Carmona, em sessão solene atribuiu-lhe o diploma de Casa Centenária. Hoje, 180 anos após a sua fundação, a Confeitaria Nacional continua nas mãos da mesma família e mantém inalterada a sua reputação de Casa de Chá, Pastelaria e Confeitaria. No primeiro andar também se servem refeições.

Uma curiosidade para mim foi ver na vitrine uma torta inteira de ovos com fios de ovos em sua volta e cerejas encima,  esse doce comprei uma vez em São Paulo em uma doceria chamada ” A Casota Portuguesa” - Avenida Miruna, 442 – Moema  São Paulo, comprei para o batizado do meu filho João , hoje com 16 anos, depois nunca mais havia visto, Essa torta é a famosa Lampreia, e  tem mesmo o formato de um peixe cilíndrico, com  um sabor divino, para quem gosta de doces de ovos é claro.

Confeitaria Nacional, se vier a Lisboa, não deixe de visitar!

Praça da Figueira 18B  1100-241 Lisboa, Portugal
213 424 470

www.confeitarianacional.com

Azeitão e Palmela

5 dez

Ontem fui encontrar um casal amigo dos meus pais de muitos anos, Lourdes e Dr. Aguinaldo, eles me conheceram muito pequena, quando na época da guerra precisaram vir morar no Brasil, onde ficaram por muitos anos.

Há mais de 15 anos retornaram a Portugal para morar. Fui visitá-los em sua residência em Paço D’Arcos no caminho do Estoril, um dos lugares mais nobres da região de Lisboa.

Foi um dia maravilhoso, logo cedo desci a pé até o Cais do Sodré, de onde partem os Comboios (Trens). Peguei o que parte sentido Cascais pela linha 3, essa linha faz  parada em todas as estações. O ticket, se comprado pela primeira vez, vai te custar 2,50 euros a primeira viagem e 1,80 as viagens seguintes, isso porque o ticket é recarregável, por isso não jogue fora o seu nunca, e o melhor os metros e trens são todos integrados, o que facilita muito, porque irá recarregar sempre o mesmo cartão.

Se for usar bastante vale a pena carregar com 10 ou 20 euros, acabará economizando um bom dinheiro.

Pelo caminho a Cascais,  vi a maravilha do Rio Tejo em seu trajeto unindo-se com o mar. Passei por Belém, Caxias e outros, chegando a Paço D’Arcos.

Que graça de lugar, realmente muito bonito, perto do enorme Parque dos poetas e do Centro Comercial de Oeiras. Fui muitíssimo bem recebida, de lá fomos de carro até Cabanas de Palmela uma cidadezinha linda onde eles possuem uma Quintinha chamada Bons Ares, lugar maravilhoso, entre  Azeitão e Palmela, lá colhemos frutas, sentimos o ar puro e descansamos com a maravilhosa vista de Lisboa.

Após uma alheira no almoço, aliás deliciosa, fomos para Azeitão onde estão os famosos vinhos José Maria da Fonseca, mas a surpresa, ainda estava por vir, no caminho Lourdes sugeriu me apresentar a melhor torta de Azeitão. “Que Maravilha” como diria Claude, um pão de ló dos deuses de tão leve com recheio de ovos moles, essa iguaria pode ser degustada na própria fábrica ou seja fresquíssima, em frente tem uma loja com vários produtos da região e ao fundo um tipo de cafeteria com os doces típicos e o cafezinho, pode ser o garotinho = café pequeno ou o galão = café com leite grande, o pedaço de torta custa 1,80 euros.

Estrada Nacional nº 10, km 17
2830-411

Tel: 212 190 418

…….Melhor verem as fotos….

Que dia delicioso!

Lourdes e Dr. Aguinaldo

Vistas da Quintinha, podemos ver Lisboa e o Cristo.

Laranjas de Setúbal, colhemos algumas na Quintinha

.

No caminho para Palmela, paramos em uma loja de Decoração de Interiores chamada Tralhas do Avô, além de peças lindíssimas, ao lado eles tem uma orivesaria, lá meu pai quando veio a Portugal já havia comprado porta guardanapos em prata e mandado gravar as iniciais neles. Muitos portugueses vem de Lisboa para fazer as compras de decoração de suas casas nessa loja, que por sinal é enorme, conta o simpático proprietário Jorge Lobo.

Pensei muito em minhas amigas arquitetas, Bárbara Fantelli e Tânia Lara, com certeza elas seriam clientes assíduas!

As Tralhas do Avô

Av. Visconde Tojal, 239 Cabanas – Palmelas

351 212889333

Continuando o passeio, como contei descobri a delícia das Tortas de Azeitão, além dos vinhos é claro!

Mariscos Frescos – Lisboa

3 dez

Impossível não parar na vitrine dessa Marisqueria  Concha D’Ouro, que conheci hoje, Carangueijos, peixes, enormes lagostas, entre outros mariscos em uma grande variedade. Por apenas 12,00 euros podemos degustar o prato do dia com entrada e sobremesa.

Aliás, vos digo (no clima português), nessa cidade come-se muitíssimo bem e paga-se muito pouco!

Rua Augusta, 238-240 – Lisboa

Lisboa – Tradição no “fast food” português

3 dez

Pela indicação de um português chamado Pedro, que recepciona vários turistas do mundo todo em um Hostel, acabei descobrindo um lugar muito tradicional no centro de Lisboa chamado Restaurante e Cervejaria Beira Gare, a especialidade do lugar chama-se BIFANA, nada mais é que um sanduíche de carne de porco que em 1 minuto chega a sua frente no balcão onde muitos portugueses disputam um espaço, porque sentar a mesa, é sempre mais caro! Come-se com mostarda e paga-se apenas 2,30 euros por ele. Claro que não estamos falando de uma refeição gourmet, mas se já esteve em Portugal e não experimentou, não deixe de fazê-lo na próxima visita!

Rua 1°de Dezembro, 116 ( Em frente a estação do Rossio) – Lisboa

Sobre a bebida, entre tantos vinhos espetaculares que ainda irei postar aqui, descobri uma bebida também muito tradicional entre os portugueses, eles tomam dois ou três pequenos cálices desse “licor” chamado Ginginha, feito de cereja e servido com chocolate ou puro.

Eu bebi puro e adorei, e olha que não sou de bebidas docinhas, mas essa Ginginha de Transmontano é realmente muito gostosa.

Você encontra em qualquer lugar de Lisboa, até em bancas e feiras nas ruas do centro.

Dona Lourdes, serve a Ginginha com a alegria de vender o mais tradicional produto da cidade.

Delicías doces de Lisboa

2 dez

Delicías doces de Lisboa

Essa Pastelaria (Coloco entre aspas, porque tomei uma canja deliciosa nesse lugar, por sinal bem diferente da nossa, mas também muito saborosa.) está localizada no centro de Lisboa – Praça Dom Pedro I 64. Seus doces são enorme sucesso entre as famílias locais, hoje em pleno domingo no centro de Lisboa, as famílias faziam suas compras e tinham como parada obrigatória a Gelo Café que é tradicional local de doces típicos do país. E o melhor os preços são ótimos, para terem ideia minha canja custou apenas 1,50 euros. Pensando um pouco me lembrou muito a Confeitaria das familias no calçadão Rua XV de Novembro no centro de Curitiba.

Curiosidade: São fabricados em Lisboa 45.000 Pastéis de Belém por dia, a 1,00 euro cada, são 45.000,00 euros por dia pela iguaria.

Por isso a receita vinda de uma família da cidade de Belém, é guardada a sete chaves a muitas gerações.

coloque esse código no final da página: